A professora Lenira Rangel abordou o tema que foi o eixo central do ENGRUPE, traçando conexões entre a dança e outras disciplinas. Doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontífica Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), iniciou a palestra abordando a relação entre educação, dança e multidisciplinaridade.

A professora estabeleceu uma relação entre educação, arte e multidisciplinaridade, mediados necessariamente pelo corpo. Nesse sentido, distingue e esclarece a relação Educação/Artte-Educação/Arte e o seu entendimento quanto à obrigatoriedade das aulas de Arte e da formação profissional dos educadores. Lançou perguntas sobre os critérios de seleção de conteúdos e abordagens no ensino da dança, vista como uma área de conhecimento com implicações peculiares às demais áreas dessa natureza. Para chegar ao foco da palestra, traçou breve sequência de conceitos-chave com os quais trabalhou, conceitos semióticos para tratar da dança como discurso não-verbal, para formular o que denomina corpoconectividade (conceito-ato). Faltou também sobre a multidisciplinaridade se remetendo à relação entre o modo e qualidade, acoplagem e criação, citando a obra Ecologia dos Saberes, de Boaventura Santos. Por fim, abordou a arte contemporânea e seus aspectos ligados à não-hierarquia, ao acaso, à democracia, ao diálogo, a uma visão do mundo e da vida, ao cotidiano, à impermanência, às diferenças, aos complementos.

Lenira Rangel

Professora, dançarina e coreógrafa. Exerce atividades didáticas nas áreas de Arte e da Educação, tratando do papel do uso da movimentação do corpo no aprendizado. Graduada pela ECA/USP, Mestre em Artes/UNICAMP. Viaja por todo o Brasil trabalhando na formação continuada de professores. Tem artigos publicados pela Fundação Estadual para o Desenvolvimento da Educação e livros de repercussão nacional. Participou de festivas, cursos e congressos no Japão, Índia e Inglaterra e também de Bienais de Arte em São Paulo. Premiada com o APCA/2000.