Cada representante ou líder dos grupos de pesquisa teve 20 minutos para expor sobre o trabalho desenvolvido pelo grupo. As apresentações realizadas na tarde do primeiro dia do evento provocaram o levantamento de questões, que foram tratadas na forma de reflexão coletiva, sintetizadas nos seguintes tópicos:

  1. A disponibilidade para o trabalho em equipe – tendência desejável para o mundo contemporâneo;
  2. As dificuldades decorrentes das estruturas, das relações, institucionais, e preconceitos teóricos-científicos;
  3. A predominância de pesquisas individuais concorrendo para o grupo em comparação com as pesquisas coletivas: participantes “virtuais”;
  4. A relação corpo, estética, formação profissional (do graduado em artes e do ator), dança, educação;
  5. Os referencias teóricos de alguns autores recorrentes (Laban, Klauss Vianna) e abordagens (fenomenologia, materialismo dialético) na apresentação dos grupos, na busca de construção de referências epistemológicas.
  6. A busca da reconstituição da pesquisa em arte incluindo-a e/ou partindo dela;
  7. O interesse por políticas colaborativas.
  8. A busca da integração ensino, pesquisa, extensão, que permearam todas todas as apresentações mesmo a dos convidados na abertura do evento.

Dando sequência aos trabalhos iniciados na tarde do dia anterior, ao final das apresentações novamente se estabeleceu um fórum de reflexão coletiva, em torno dos seguintes itens:

  • A questão sobre as pesquisas individuais e coletivas;
  • O fomento veraus reconhecimento científico da produção em arte – o aspecto subvertor que a arte pode assumir é uma hipótese para a forma que se dá nesta relação;
  • A relação da pesquisa em Dança com a Educação;
  • As questões ligadas à teoria e prática / professor artista e artista professor / artista-educador-pesquiasdor;
  • Referencias teóricos e modos de pesquisar /episteme e metodologias. Trabalhos de cooperação institucional.